Os FIIs que deram a volta por cima e ficaram no azul no 1º ano de crise

Até o final de março, 60 fundos imobiliários tiveram retorno positivo.

LUIZ FELIPE SIMÕES

[email protected]

08/04/2021, 9:34

2020 foi um ano difícil para qualquer investidor, principalmente para quem tinha posições em fundos imobiliários. Em março do ano passado, o IFIX, principal índice do País de FIIs, despencou para os 2,3 mil pontos – patamar que não era visto desde dezembro de 2018.

Como se não fosse suficiente, apenas 28,14% de todos os FIIs negociados apresentaram retorno positivo no acumulado do ano, segundo informações da plataforma de investimentos SmartBrain. A rentabilidade dos ativos derreteram cerca de 40% no ano.

No entanto, o cenário para os FIIs em 2021 mostrou uma perspectiva diferente. A base de investidores já superou a marca de 1,25 milhão em fevereiro deste ano – pouco mais que o dobro do registrado há 12 meses, com cerca de 645 mil pessoas físicas no mercado listado.

“Os fundos imobiliários continuam atraindo um número crescente de investidores e têm mostrado menos volatilidade em relação a outros mercados”, diz Vitor Bidetti, CEO da Integral Brei, que faz estruturação e gestão de FIIs.

Mesmo com o estrago causado pela pandemia, alguns FIIs conseguiram dar a volta por cima e entregar rentabilidade positiva entre março de 2020 e março de 2021. É o que mostra o levantamento realizado pela fintech SmartBrain, a pedido do E-Investidor. No total, 60 fundos imobiliários ficaram no azul, o equivalente a 33% de todos os transacionados na bolsa de valores brasileira.

Comparando com o desempenho médio das cotações dos fundos imobiliários, o índice IFIX acumula valorização de 14,70% nos últimos 12 meses, aos 2,8 mil pontos. Apesar de operar no campo positivo, o índice de referência de FIIs ainda não recuperou o patamar pré-crise, quando estava na faixa dos 3 mil pontos.

Em primeiro lugar no ranking temos o Iridium Recebíveis Imobiliários (IRDM11), que despontou com 52,5% de rentabilidade no período. Na sequência, completam o top 3 o fundo Ouro Verde Desenvolvimento Imobiliário (ORPD11), com alta de 42,9%, e Even Permuta Kinea (KINP11), com 36,31%.

Outro ponto interessante do levantamento é que, até agora, no acumulado de 2021, 79 FIIs tiveram performance positiva, o que equivale a 40% do total de fundos imobiliários negociados na B3.

Confira a lista com os FIIs que renderam mais de 10% neste período:

Desempenhos dos FIIs no 1º ano* de pandemia
Fundos ImobiliáriosRentabilidade (%)
IRDM11 – FII IRIDIUM RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS52,51
ORPD11 – OURO VERDE DESENV IMOB I FDO INV IMOB – FII42,99
KINP11 – EVEN PERMUTA KINEA FII – FDO INV IMOB36,31
NVHO11 – FDO INV IMOB – FII NOVO HORIZONTE33,82
PLRI11 – POLO FDO INV IMOB – FII RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS I27,2
BARI11 – FDO INV IMOB BARIGUI RENDIMENTOS IMOB I FII26,71
BPRP11 – FDO INV IMOB – FII BRLPROP24,04
TOUR11 – FDO INV IMOB TOURMALET II23,53
HCRI11 – FDO INV IMOB – FII HOSPITAL DA CRIANÇA21,39
CVBI11 – FDO INV. IMOB. VBI CRI20,8
PLCR11 – FDO INV. IMOB. PLURAL RECEBÍVEIS19,92
HABT11 – HABITAT II – FDO INV IMOB18,65
ALZR11 – ALIANZA TRUST RENDA IMOBILIÁRIA FDO INV IMOB18,57
TOUR13 – FDO INV IMOB TOURMALET II18,55
BTLG11 – BTG PACTUAL LOGíSTICA FDO INV IMOB – FII17,97
NSLU11 – FDO INV IMOB – FII HOSPITAL NOSSA SRA DE LOURDES16,85
EURO11 – FDO INV IMOB EUROPAR16,48
SPTW11 – SP DOWNTOWN FDO INV IMOB – FII16,33
RBRP11 – FDO INV IMOB RBR PROPERTIES – FII15,77
ARRI11 – FDO. INV. IMOB. ÁTRIO REIT RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS15,54
BCRI11 – BANESTES RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS FDO INV IMOB FII14,43
TGAR11 – FDO INV IMOB TG ATIVO REAL14,15
HGLG11 – CSHG LOGÍSTICA FDO INV IMOB – FII13,54
NPAR11 – FDO INV IMOB NESTPAR – FII12,65
RBBV11 – JHSF RIO BRAVO FAZENDA BOA VISTA CAP. PROT. – FII12,65
REIT11 – SOCOPA FDO INV IMOB – FII12,41
PORD11 – POLO FDO INV IMOB – RECEBÍVEIS IMOB II – FII12,35
RNDP11 – BB RENDA DE PAPÉIS IMOBILIÁRIOS FDO INV IMOB – FII12,3
BBFI11B – BB FDO INV IMOB PROGRESSIVO11,96
MFII11 – MÉRITO DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO I FII – FII11,82
HGPO11 – CSHG PRIME OFFICES FDO INV IMOB – FII10,06
*Desempenho entre 1º de março de 2020 até 31 de março de 2021